Definição de heresia é…

5 jun

Um talento que bota um tapa-sexo de madeirinha nos meus amados moonkins.

Personal mimimi site

19 maio

O Vaca Druida sempre foi, pra mim, um blog egoísta. Foi aqui que eu choraminguei a vida quando não tava conseguindo me equipar e meu DPS tava no chão, quando eu resolvi que ia tentar tankar, e ainda, quando eu dei adeus à Vaca Velha e fiz nascer uma nova. A Eikani nova já está 85, com um up em que tentei desesperadamente pular Outlands [mas se quero loremaster, vou ter que passar por lá alguma hora], e que no fim foi bem mais desleixado do que no começo e do que eu gostaria.

Mini-mim e eu

No meio desse processo, uma migs arrumou emprego fodão e eu ganhei um filho de presente, comecei a viajar horrores a trabalho, fui passear na Blizz, comecei a jogar mais no beta do WoW do que no live, aprendi o basicão de se editar vídeos [mas preciso arrumar um microfone pra poder gravar mais], e além disso tudo mais meu trabalho, ainda tenho um casamento pra organizar /love.

Clichê, mas ❤

Por causa disso tudo, muitas, mas muitas vezes mesmo em que pensei passar por aqui pra um dos meus mimimis básicos sobre a vida/jogo/leitores loucos e sem noção, eu acabava me acomodando no ‘depois eu faço’… e bem, o depois nunca chegava 😛

Então esse post nada mais é que uma tentativa de justificar pra mim mesma o motivo de um lugar que poderia ter muita coisa legal [Ah, mimimi quando você mesmo faz é legal, vai! Só ouvir o dos outros que nem tanto haha] ficar aqui, às moscas. E uma outra tentativa, que provavelmente também vai ser frustrada, de movimentar mais as coisas por aqui.

Só o tempo dirá. Mas enquanto isso, tô por aí, no WoW, no Diablo e no WoWGirl 🙂

Lançamento do WoW no Brasil – Eu fui o/

9 dez

Quando você tem amigos não precisa de mais nada, certo? Graças à Coxinha, estive no lançamento do WoW BR! o/

 

Olha eu lá:

 

Coxínha, você fez uma criança feliz, mesmo! ❤

 

Btw, estou no Nêmesis, aproveitando filas de 50min, invites de guildas aleatórias a cada 10 segundos, com meu nome ‘original’ de novo [Eikani, com um i só ^^], mas confesso que se pudesse até voltaria pro Warsong, viu? Poxa, já tinha me apegado depois de tanto tempo por lá…

E a questão da língua não faz diferença, já que continuo jogando em inglês – eu acho que nunca vou me acostumar a ouvir minha amada Thunder Bluff sendo chamada por seu nome em português: Penhasco do Trovão. Não dá, a sonoridade não combina!

 

Até!

Sobre upar de novo: pensamentos aleatórios

21 nov

Então, tô upando tudo de novo né? E posso afirmar que estou muito, muito feliz com essa minha escolha, apesar de muitas vezes me pegar sentindo falta de ver minha tab de achievements cheia de achievs completos, de poder virar passarinho, de poder passear pelo mundo todo sem medo de mobs…

Mas o que me deixa feliz mesmo, é ver que tudo que me fez me apaixonar pelo WoW, as coisas bobas que eu fazia porque gostava enquanto estava upando minha primeira vaca, estão lá ainda, tão boas quanto ou melhores. E eu não to naquela sanha louca de upar logo, pra upar e ponto. Namorado até implica comigo direto, com coisas tipo ‘PQP, pra que você ta querendo conhecer Mulgore agora? Upa logo, que quando você chegar no 85 fica muito mais fácil fazer isso!’ ou ‘Você tá lvl, 20, matando mob 16 pra que? Sai daí!’ – e quando respondo que poxa, quero o achiev de quests, quero passear, ele repete que no 85 é mais fácil.

Sim, eu sei que é bem mais fácil, mas jogar assim me faz feliz. Andar, passear, fazer quest lendo tudo, re-conhecer Azeroth, ver as quests que mudaram e as que continuam as mesmas, questar por novos lugares, andar a pé, de Kodo – algo que eu não fazia há MTO tempo – tudo isso me fez redescobrir o jogo, e com um prazer enorme. É ótimo ver que ainda consigo jogar o mesmo jogo com a curiosidade e a vontade de alguém que tá começando no jogo agora, como se não o conhecesse.

E nisso, tive algumas certezas da minha vida ingame:

– Nunca vou conseguir jogar com outra raça que não seja Tauren. Completando as quests na zona inicial, você é levado pro alto de um monte, pra contemplar ‘sua terra’ inteira. E sim, Mulgore é “minha terra”, Thunder Bluff é minha cidade, e ver ela daquele jeito, admirando mesmo, me fez perceber que nunca vou ter tanto carinho por nenhuma outra raça, de jeito nenhum.

– Meu negócio é mesmo Druida. Moonkin. Da outra vez que upei, cheguei até o 80 como tank, e daí fui para balance. Mas agora não consegui matar um mob como gato/urso, me incomodou profundamente até tentar. E como eu jogo por felicidade, não pelo desafio, ou para ser a melhor jogadora ever, não vou ficar quebrando cabeça, e sim, vou ser feliz. E sou feliz com meus wrath, starfire, me sinto realizada cada vez que consigo abrir uma skill que eu era acostumada a usar e ainda não tinha, e imagino que quando puder soltar um starfall de novo, ou quando puder virar Moonkin,  vou dar pulinhos de satisfação. Literalmente, haha. Já tentei upar mage, shaman, já joguei com hunter e rogue, mas nada é tão lindo quanto Druida – que vira gato, que vira urso, que vira peixe-boi, que vira coruja ❤

– Sou uma jogadora solitária. Gosto de questar sozinha, adio quests em grupo até poder ir lá fazer sozinha, prefiro não fazer dungeons – até me esqueço delas. Até o  lvl 21 fiz Deadmines uma vez – e só. Não sei bem o motivo, mas acho que gosto tanto de fazer quests, e andar e passear, que coisas em grupo não me atraem em nada. Tinha sido assim das outras vezes, e achei que agora seria diferente… mas não. Quando chegar no 85 provavelmente vou querer voltar a fazer dungeons e até raidar, porque no fim das contas, não sobram muitas outras opções; Mas até lá, provavelmente vou seguir passeando só 🙂

– Gosto de WoW. Ponto. Amo o cenário, o lore, os personagens, sinto saudades de lugares, me identifico com personagens, e felizmente, não perdi o encanto por tudo isso. Acho que se todos os jogadores reparassem nos detalhes de tudo, e se apegassem ao mundo todo – e não só a itens, equips, pontos, rankings – Azeroth poderia ser um lugar mais feliz. Dia desses, logando na conta do namorado, dei um passeio por Orgrimmar, voando [coisa que não fazia há mto tempo, só tenho me perdido andando a pé lá haha], me dei conta de como tudo é lindo, bem feito, e de como voar por Orgrimmar era bom.

Sei que é muito difícil alguém se dispor a viver essa experiência que eu decidi fazer. Começar uma conta do zero – e não um char na mesma conta com todas as facilidades – não é fácil, especialmente se sua cabeça for upar, upar, upar. Mas pode ser algo extremamente recompensador, se você se dispuser a aproveitar tudo que Azeroth pode te oferecer.

*Sim, ainda estou lvl 21. Meu computador resolveu morrer, e até ele voltar à vida, foram mtos dias de jogo perdidos 😦

Mas vou tentar postar minha evolução e impressões por aqui com mais frequência =D

Surtei, mas voltei

29 out

Então… há quanto tempo!

Fiquei uns meses afastada do WoW por excesso de trabalho e umas mudanças na RL, que me fizeram tomar uma decisão digamos… radical.

[Pausa dramática]

A Eikani que vocês conheciam não existe mais.

Mas não chorem, nem se descabelem, nem me chamem de louca! [ok, chamar de louca podem chamar haha].

Seguinte: Dei name change na Eikani, [pra ter meu nome lindo de volta daqui 3 meses <3], troquei de conta, e estou criando outra vaca druida, com todo amor e carinho, a partir do lvl1. Upar tudo de novo, fazer o caminho que fiz váárias vezes antes do Cata, e ser feliz fazendo o que gosto no WoW: achievements, passear, matar bichinhos, sentir alegria com coisas bobas – ainda lembro da minha felicidade a primeira vez que eu voei, em Hellfire Peninsula, e tô morrendo de curiosidade pra saber se vai ser a mesma coisa agora.

Ainda não saí de Mulgore, minha amada Mulgore, mas tô bem feliz começando tudo de novo. Provavelmente vai chegar de novo o dia em que eu vou voltar a ser aloka das raids, e quero de verdade passar por aquela ansiedade toda de conseguir fazer tudo, de fazer parte de um core, de jogar bem. Mas isso deve ser algo que me deixa feliz, certo? É isso que tô procurando 🙂

Se se interessarem, vou começar uma série de posts no estilo ‘upando com felicidade e sem pressa’ hahaha.

Até, e obrigada pela paciência =D

Cho’gal will have your… #NOT

17 maio

Matamos o chato de duas cabeças ontem! YAY! Não aguentava maais ouvir a voz da cabeça sem noção zombando da gente ><

Pela primeira vez depois de um mês tentando chegamos na segunda fase, e na terceira try chegando nela, matamos. Eu já tinha perdido as esperanças, confesso, mas ainn mto feliz!

Peguei um anel, e agora só falta trocar a head e shoulder [aloka da shoulder, pessoal do meu core não deve mais me aguentar falando nisso haha] pra ficar full 359 o/

Faltou amiguinho raidando junto pra ser mais feliz [viu, Jellert?], mas como falaram ontem, agora vira farm 😛

Eu estou logando só pra raidar – sim, mto triste – por isso não tenho mtas novidades além disso. Mas matei Cho’gal, mano!

[Eu ainda acredito que a gente só matou pq a Lorie foi com a gente dar try nele pela primeira vez, lucky charm lol]

Até!

Atramedes, o ceguinho simpático, mórreu.

11 maio

O post está bem atrasadinho, porque matei ele semana passada pela primeira vez. A gente ta totalmente travado no Cho’gal, bem dando murro em ponta de faca mesmo… espero que isso resolva logo! Enquanto isso, o resto virou quaase farm, eu tenho 2 peças do T11 [feliz!], e ainda não consegui terminar nenhuma das Zandalari, por que só consigo logar na hora da raid 😦

Alguém vende tempo ou me dá um bilhete da sena premiado? Brigada!

Até!